Prazer, Camilla, com dois L, por favor! 25 primaveras, a cabeça de 40, a cara de 15. Nasci e cresci em Paracatu, uma cidade do noroeste mineiro, mas atualmente estou morando na capital da Paraíba, João Pessoa. Conheço um pouco de cada região desse país, mas tenho orgulho em dizer que sou da terra da moda de viola e do pão-de-queijo.

Formada em Direito, advogada, mas também tenho uma queda (bem profunda) pela área de Comunicação e Jornalismo.

Minha paixão pelas palavras? Ah, essa nasceu quando eu ainda tinha 4 anos, idade em que aprendi a ler. Sim, fui alfabetizada em casa, para espanto e dúvida de alguns.

Minha personalidade é forte, embora eu não seja uma pessoa totalmente aberta. Prefiro deixar com que as pessoas descubram quem sou com a convivência, até porque seleciono aqueles que estão de fato ao meu lado, consequentemente, poucos são os que sabem muito ao meu respeito. 

Se querem ter uma noção de como sou, vou de antemão avisando que sou cheia de manias e complexos. Culpa minha? Talvez! Tenho esse defeito de preocupar demais com o que não devia, fato que já me levou a alguns consultórios psiquiátricos e alguns comprimidos antidepressivos, o que não me impede de ser uma pessoa feliz.

Sou tímida em situações em que não me sinta à vontade (quase sempre). Ansiedade é meu nome e Rivotril meu sobrenome. Tenho tentado lidar com isso, mas já me conformei que está mais que impregnado na minha essência e nos meus genes.

Algumas palavras que me resumem: família, amigos, livros, viagens, séries, filmes, música, animais, maquiagem, fotografia.

Sou livre, e gosto de ser assim, apesar de ter consciência que não temos uma liberdade verdadeira. A minha liberdade se baseia no fato de que vivo conforme os princípios e o estilo de vida que escolhi pra mim. Se é o melhor, ninguém pode saber. Só sei que é o que me faz feliz e o que coloca sentido nas minhas ações. 

A verdade é que não gosto de me descrever, somos tão grande por dentro e qualquer descrição se torna pobre. E assim é a vida: algo que não se descreve, pois qualquer tentativa se torna vã quando nos deparamos com a imensidão do que conhecemos sobre ela, e mais ainda do que não conhecemos. Por isso prefiro pensar somente que a vida simplesmente é. E ponto final!


Camilla Rabelo. Tecnologia do Blogger.